Reflexões sobre o viver e a politização das práticas de consumo

Daniela Duarte Dias, Pedrinho Arcides Guareschi, Inês Hennigen

Resumo


Nas últimas décadas, tem acontecido um aumento nos padrões de consumo de forma global, acompanhado do aumento da poluição, da exploração dos bens naturais e a constituição de um modo de vida tomado pelo excesso de trabalho e pelo endividamento econômico. Esse artigo é resultado parcial de uma pesquisa de doutorado e teve como objetivo visibilizar como grupos com estilos de vida e de trabalho alternativos a modos massificados de viver relacionavam-se com o consumo. Problematizaremos o aspecto da individualização das responsabilidades sobre os problemas ambientais, crítica apontada por um dos grupos participantes. Ainda que refletir e modificar as práticas de consumo não acabe com os problemas ambientais, o fato de tomar para si as preocupações em relação ao planeta que habitamos pode viabilizar relações menos massificadas com a própria vida. Palavras-chave:


Palavras-chave


consumption practices; politicization; lifestyle

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


BARBOSA, Livia. Sociedade de consumo. 3ª ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadorias. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2008.

CASTRO, Gisela G.S. Comunicação e consumo nas dinâmicas culturais do mundo globalizado. pragMATIZES - Revista Latino Americana de Estudos em Cultura. Rio de Janeiro, ano 4, n. 6, semestral, p.58-71, mar. 2014. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2016.

FONTENELLE, Isleide Arruda. O fetiche do eu autônomo: consumo responsável, excesso e redenção como mercadoria. Psicol. Soc., Florianópolis, v. 22, n. 2, p.215-224, Ago. 2010. Disponível em: . Acesso em: 29 maio 2016.

______. Consumo como investimento: a produção do consumidor saudável pela mídia de negócios. Comunicação, mídia e consumo. São Paulo, ano 9, vol.9, n.24, p. 133-152 maio 2012. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2016.

AUTOR 3. Superendividamento dos consumidores:

uma abordagem a partir da Psicologia Social. Rev. Mal-Estar Subj., Fortaleza , v. 10,n. 4, p. 1173-1202. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2016.

NASSIF, LUIS. Influência humana no aquecimento global é evidente, alerta novo relatório do IPCC. GGN: o jornal de todos os Brasis. 2014. Disponível em: . Acesso em: 04 mar.2016.

O QUE É freeganismo? FREEGAN.INFO: Strategies for sustainable living beyond capitalism. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2016.

PORTILHO, Fátima. Consumo sustentável: limites e possibilidades de ambientalização e

politização das práticas de consumo. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 3, n. 3, p. 01-12, 2005. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2016.

______. Novos atores no mercado: movimentos sociais econômicos e consumidores politizados. Política & Sociedade. Florianópolis, vol. 8, n. 15, p.199-224, out. 2009. Disponível e: . Acesso em: 30 maio 2016.

WOLFFENBUTTEL, Andréa. O que é? IPCC. IPEA.GOV.BR. 2007. Disponível em: . Acesso em: 04 mar. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.18568/cmc.v14i39.1214

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Comunicação Mídia e Consumo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Diretórios e Indexadores: SCOPUS lREVCOM l UNIVERCIENCIA l Sumários.org l LIVRE l Latindex l EBSCO l CENGAGE Learning l DOAJ l IBICT/SEER l Portal de Periódicos da CAPES l Diadorim  |  

Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP

CEP: 04018-010 - e-mail: revistacmc@espm.br