As favelas cariocas nas chanchadas: de berço do samba a problema público

Rafael de Luna Freire, Leticia de Luna Freire

Resumo


Este artigo traça um panorama histórico da representação das favelas cariocas nas comédias musicais cinematográficas brasileiras, conhecidas como chanchadas, dos anos 1930 ao início da década de 1960. Apontamos a presença mais constante da favela como cenário reproduzido em estúdio em números musicais das chanchadas lançadas até meados dos anos 1950. Tomando como marco o filme Depois eu conto (1956), a representação da favela passa a ser cada vez mais politizada no gênero. Em meio às polêmicas sobre as remoções das favelas e a atuação social da Igreja Católica na transformação deste tipo de habitação popular em “problema público”, analisamos Três colegas de batina (1961), em que uma favela adquire grande importância para sua trama, mas com um discurso ideológico distinto dos mais conhecidos filmes dos diretores do Cinema Novo.

Palavras-chave


chanchada; favela; Igreja; samba; cinema.

Texto completo:

PDF

Referências


AUTOR et al. (Org.). Título. Rio de Janeiro: Editora Garamond, 2012.

AUTOR et al. título, Antropolítica: Revista Contemporânea de Antropologia, Niterói, v., n.29, p.201-224, jul/dez. 2010.

AUTOR. Título. 2011. 504 f. Tese (Doutorado em Comunicação) – Instituto de Arte e Comunicação Social, Universidade Federal Fluminense, Niterói. 2011.

AUTOR. Título. In: KUSHNIR, B.; VIEIRA, J. L. (Org.). Rio, 450 anos de cinema. Rio de Janeiro: Em Tempo: 2016. p. 79-88.

AUTRAN, A. Do rádio à televisão: o personagem negro em dois filmes brasileiros. In: ENCONTRO DA COMPÓS, 19., 2010, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro, 2010.

GALVÃO, M. R.; BERNARDET, J. C. Cinema: repercussões em caixa de eco ideológica (As ideias de “nacional” e “popular” no pensamento cinematográfico nacional). São Paulo: Brasiliense, 1983.

GUSFIELD, J. The culture of public problems: Drinking-driving and the symbolic order. Chicago: University of Chicago Press, 1981.

HEFFNER, H. Os realismos da década de 50. In: FRANCO, G. C. (Org.). Olhares neo-realistas. São Paulo: CCBB, 2007. p. 42-25.

JONALD. Favela dos meus amores. A Noite, Rio de Janeiro, s.p., 16 jan. 1947.

MELO, L. A. R. Radio stars on screen: critiques of stardom in Moacyr Fenelon’s Tudo Azul (1952). In: BERGFELDER, T.; SHAW, L.; VIEIRA, J. L. (Org.). Stars and Stardom in Brazilian Cinema. Oxford: Berghahn, 2017. p. 144-161.

NAPOLITANO, M. “O fantasma de um clássico”: recepção e reminiscências de Favela dos Meus Amores (H.Mauro, 1935). Significação, São Paulo, v. 36, n.32, p. 137-157, 2009

OLIVEIRA, J.; MARCIER, M. H. A palavra é: favela. In: ZALAR, A.; ALVITO, M. (Org.). Um século de favela. Rio de Janeiro: Editora FGV, 1998. p. 61-114.

SAGMACS. Aspectos Humanos da Favela Carioca. Separata de: O Estado de S. Paulo, São Paulo, 13 e 15 abr. 1960.

SANDRONI, C. Feitiço decente: transformações do samba no Rio de Janeiro (1917-1933). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

SANZ, J. Depois eu conto. O Globo, Rio de Janeiro, s.p., 14 ago. 1956.

SINGH JR., O. Adeus cinema: vida e obra de Anselmo Duarte, ator e cineasta mais premiado do cinema brasileiro. São Paulo: Masao Ohno Editor, 1993.

VALLADARES, L. P. A invenção da favela: do mito de origem a favela.com. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

VIANNA, H. O mistério do samba. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.

VIEIRA, J. L. A chanchada e o cinema carioca (1930-1955). In: RAMOS, F. (Org.). História do cinema brasileiro. São Paulo: Art editora, 1987. p. 129-187.




DOI: http://dx.doi.org/10.18568/cmc.v15i43.1654

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Comunicação Mídia e Consumo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Diretórios e Indexadores: SCOPUS lREVCOM l UNIVERCIENCIA l Sumários.org l LIVRE l Latindex l EBSCO l CENGAGE Learning l DOAJ l IBICT/SEER l Portal de Periódicos da CAPES l Diadorim  |  

Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP

CEP: 04018-010 - e-mail: revistacmc@espm.br