A imaterialização da marca: da economia da mercadoria à economia da transformação

Carla Suzana Dias, Ana Baptista

Resumo


No mundo atual as marcas têm vindo a reconhecer que o design e a produção de objetos representa apenas uma parte do seu negócio. Assim, esforçam-se por desenvolver com sucesso novas estratégias de marketing como o branding baseado na experiência. Todavia, alguns autores apontam para a necessidade da economia se basear em algo mais duradouro do que a memória que o serviço ou a experiência de uma marca possa despertar no público. Sustentam, portanto, a importância de se desenvolver a ‘Economia da Transformação’. Neste artigo iremos discutir o processo de imaterialização da marca e, consequentemente, a mudança do seu valor económico ao longo das últimas décadas. Apoiados em autores de referência de diversas áreas, procuramos contribuir para a reflexão e reconhecimento de fatores contemporâneos que possam estar implicados num crescimento económico futuro.


Palavras-chave


Marketing; comunicação; marca; experiência; economia da transformação

Texto completo:

PDF

Referências


BRITO, S.; OLIVEIRA, A.; NOBRE, L.; MACÊDO, A.; MARCHETTI, Renato Z., Dimensões de brand experience no contexto brasileiro. RACE - Revista de Administração, Contabilidade e Economia, Joaçaba, v. 16, n.1, p. 121-146, 2017. Disponível em: http://editora.unoesc.edu.br/index.php/race/article/view/10527. Acesso em 03, agosto, 2018.

ANDERSON, C. TED Talks – O Guia Oficial TED para falar em público. Lisboa: Temas & Debates. 2016.

BRAKUS, J. J.; SCHMITT, B. H.; ZARANTONELLO, L. Brand Experience: What

Is It? How Is It Measured? Does It Affect Loyalty? Journal of Marketing, v. 73, p. 52-68, maio, 2009.

BAUMAN, Z. Liquid modernitiy. Cambridge: Polity Press, 2000.

BELL, D. The coming of post-industrial society. New York: Basic Books, 1973.

BLAUVELT, A. Towards relational design, Design Observer-Observatory. 11, fev. 2008. Disponível em: https://designobserver.com/feature/towards-relational-design/7557. Acesso em: fev. 2011.

BISHOP, C. Antagonism and relational aesthetics. October Magazine, Cambridge: MIT Press, n. 110, p. 51-79, 2004.

BOURRIAUD, N. Relational aesthetics. Dijon: Les Presses du Réel (trabalho original publicado em 1998), 2002.

BUCHENAU, M.; SURI, J. F. Experience prototyping. In: 3rd conference on designing interactive systems: processes, practices, methods, and techniques. 2000, Brooklyn. Anais DIS '00 of 3rd conference on Designing interactive systems, New York: ACM, 2000. p. 424-433. https://dl.acm.org/citation.cfm?id=347802

BURNS, C.; COTTAM, H.; VANSTONE, C.; WINHALL, J. Red paper 02: Transformation design. (Report). London: Design Council, 2006. Disponível em https://www.designcouncil.org.uk/sites/default/files/asset/document/red-paper-transformation-design.pdf. Acesso: 05 set. 2018.

CASAQUI, V. Espacialidades, consumo e trabalho pelos olhos de Mr. Hulot: uma análise de Playtime, de Jacques Tati. Comunicação & Educação, v. 14, n. 3, p. 95-103, 30 dez. 2009.

CRUZ, T. Palestra proferida no Conversations on Beauty: Beauty and the built environment: Relational Aesthetics. 2010. Youtube. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=pfVaV6ZNQ-M. Acesso: 12, maio, 2013.

CHICK, A. Design for social innovation: Emerging principles and Approaches. Iridescent: Icograda Journal of Design Research, v.2, n.1, p. 52-63, 07 dez. 2012.

DÉJÀ VU. Direção Wong Kar-Wai. Produção: Jet Tone Films. Chivas Regal 25 curta-metragem, 2012, 1’12’’. Disponível em: https://www.imdb.com/title/tt2565622/?ref_=rvi_tt. Acedido em: 05 set., 2018.

DIAS, D.D.; GUARESCHI, P.A.; HENNIGEN, I. Reflexões sobre o viver e a politização das práticas de consumo. Comunicação, Mídia e Consumo. São Paulo, v. 14, n. 39, p.31-49, 2017.

FEITOZA, F. A gestão do estranhamento e figuras de corporeidade na era estética do capitalismo. Comunicação, Mídia e Consumo, São Paulo, v.14, n.40, p.10-24, maio/ago, 2017. Disponível em: revistacmc.espm.br/index.php/revistacmc/issue/download/49/pdf_85

Acesso em 03, agosto, 2018.

HAUG, W. Crítica da estética da mercadoria. São Paulo: Ed. Unesp, 1997.

IMAGENS de marca. O futuro segundo a Vodafone. 5, out. 2017. Disponível em: http://imagensdemarca.sapo.pt/atualidade/o-futuro-segundo-a-vodafone. Acesso em: 3, 2018.

INSTALAÇÃO. Curta-metragem Vodafone Portugal, 2018, 0’30’’. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=RFfb2SecZGc. Acesso em set. 3, 2018.

JIMÉNEZ-ASENJO, B. N. Palestra proferida em HEM 2012 Madrid - Brand Experience Management: Brand experience management y el caso Starbucks. Hoy es Marketing. Madrid. 2012. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=qLvwBX7LohI. Acesso em: abril, 19. 2012.

KESTER, G. H. The One and the Many: Contemporary Collaborative Art in a Global Context. Durham, NC: Duke University Press, 2011.

KLEIN, N. No Logo. Londres: Flamingo. 2000.

KOPP, R. Design gráfico cambiante para marcas hipermodernas. Comunicação, Mídia e Consumo, São Paulo, v. 12 n. 34, p.124-145, maio-ago, 2015. Disponível em:

revistacmc.espm.br/index.php/revistacmc/article/download/925/pdf_70

Acesso em: 05, agosto, 2018.

LIMAS, J. C. La marca más poderosa del mundo. Foroalfa, novembro 30, 2013. Disponível em: http://foroalfa.org/articulos/la-marca-mas-poderosa-del-mundo. Acesso em: 3 jul. 2014.

LIPOVETSKY, G.; CHARLES, S. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Barcarolla. 2004.

LIPOVETSKY, G.; SERROY, J. Cultura-mundo: Resposta a uma sociedade desorientada. Lisboa: Edições 70, 2010.

LOCKTON, D., HARRISON, D., STANTON, N.A. The Design with Intent Method: a design tool for influencing user behaviour. Applied Ergonomics v. 41, n.3, p. 382-392, maio 2010. Disponível em: http://bura.brunel.ac.uk/handle/2438/4678. Acesso em: 18 dez. 2012.

LOCKTON, D.; HARRISON, D. J.; STANTON, N. A. Choice architecture and design with intent. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON NATURALISTIC DECISION MAKING, 9, 2009, London 23-26. Anais NDM9. The British Computer Society, 2009.

Disponível em: http://bura.brunel.ac.uk/handle/2438/3558. Acesso em: 18 dez. 2012.

LOCKTON, D. Posiwid and determinism in design for behaviour change. Working Paper Series, Social Science Research Network. Abril, 2012. Disponível em: https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=2033231. Acesso em: 18 dez. 2012.

MARIANO, F. Gilles Lipovetsky: Hoje, há demasiado de tudo. Jornal de Notícias. 4, abril, 2010. Disponível em: http://www.jn.pt/Domingo/interior.aspx?content_id=1535438. Acesso em: 2 abr. 2011.

MEZIROW, J. Learning to Think Like an Adult: Core Concepts of Transformation Theory. In J. Mezirow & Associates (Eds.), Learning as Transformation: Critical Perspectives on a Theory in Progress. San Francisco: Jossey-Bass, 2000.

MOLES, A. A.; JACOBUS, D. W. Design and immateriality: What of it in a post industrial society?. Design Issues, MIT, v. 4, n. 1/2. p. 25-32, 1988.

NIEDDERER, K., Mindful design as a driver for social behaviour change. In CONSILIENCE AND INNOVATION IN DESIGN. 5, 2014, Tokyo, Japan. Anais do 5th International IASDR Conference, Tokyo, Japan, Ago. 2013, p. 4561-4571. Disponível: http://niedderer.org/po.html. Acesso em. Jun. 2014.

OLINS, W. A Marca. Lisboa: Editorial Verbo, 2005.

PINE, B. J.; GILMORE, James H. The Experience economy. Massachusetts: Havard Business Review Press, 2011.

PINE, J. Palestra proferida numa conferência TED oficial, feb. 2004. Disponível em: https://www.ted.com/talks/joseph_pine_on_what_consumers_want#t-843429. Acesso em set. 2018.

PLAYTIME. Direção: Jacques Tati. Produção: Jacques Tati. França: Jacques Tati, 1967. 1 DVD (2h45m). Som, cor.

POPPER, F. Art of the Electronic Age. Thames and Hudson, 1997.

SANGIORGI, D. Transformative services and transformation design. International Journal of Design, v. 5 n. 2, ago. 2011. Disponível em: http://www.ijdesign.org/index.php/IJDesign/article/view/940/344. Acesso em jun. 2014.

SER Português é Nobre. Direção Rita Salvado. Produção: Agência McCann. Curta metragem. 2018. 1’. Disponível em https://www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=ekfFTfKnCrk. Acedido em set. 2018.

SCHALK, M. Palestra proferida no Alteration - Royal Institute of Technology of Stockholm (KTH School of Architecture). Suécia (Estocolmo), 31, agosto, 2011. Youtube. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=CVggSyV8t8o. Acesso em 12 jun. 2013.

THE HIRE: THE FOLLOW. Direção: Wong Kar-Wai. Produção: Anonimous Content; BMW Film. Curta-metragem, 2001, 8’47’’. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=rIHGT8vWleQ. Acedido em: 05 set., 2018.

THE Story Of Hello. Direção: Caspar Balslev. Produção: Ridley Scott Associates. Curta-metragem Vodafone, c. 2018, 60’’. Disponível em: http://artofficialagency.com/composers/martin-dirkov/vodafone-the-story-of-hello/. Acesso em set. 3, 2018.

TROMP, N., HEKKERT, P.; VERBEEK, P.P. Design for socially responsible behaviour: A Classification of influence based on intended user experience. Design Issues, MIT, v. 27. n. 3, p. 3-19, ago. 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.18568/cmc.v16i46.1878

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Comunicação Mídia e Consumo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Diretórios e Indexadores: SCOPUS lREVCOM l UNIVERCIENCIA l Sumários.org l LIVRE l Latindex l EBSCO l CENGAGE Learning l DOAJ l IBICT/SEER l Portal de Periódicos da CAPES l Diadorim  |  

Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP

CEP: 04018-010 - e-mail: revistacmc@espm.br