Leitura de notícias e imaginário

Gislene Silva

Resumo


Pode a leitura de notícias provocar no leitor sensações estéticas, ajudá-lo a organizar significados, nutri-lo de experiências transcendentais? A investigação do jornalismo no âmbito da recepção e como narrativa cultural, potente em sua dimensão simbólico-mítica e imaginária, sugere resposta afirmativa. Leitores da revista Globo Rural, ao relatarem aspectos do pacto de leitura com a publicação, revelam fundamentos que levam a pesquisa
a ultrapassar os limites da centralidade do jornalismo sustentada em fatos e acontecimentos objetivos. E, em sendo uma publicação configurada em sua maior parte por matérias de economia, técnicas e negócios agrícolas, as impressões de leitura indicam também a necessidade de se revisitar demarcações entre notícias factuais e não factuais, importantes e interessantes, de interesse
público e de interesse do público. O que se pode perceber junto a esses leitores é que, mesmo a partir de empreendimento para a divulgação da realidade, algumas publicações jornalísticas se tornam ficcionais.

Palavras-chave


Narrativa jornalística; Leitura de notícias; Imaginário; Imaginação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18568/cmc.v7i19.199

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Comunicação Mídia e Consumo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Diretórios e Indexadores: REVCOM l UNIVERCIENCIA l Sumários.org l LIVRE l Latindex l EBSCO l CENGAGE Learning l DOAJ l IBICT/SEER l Portal de Periódicos da CAPES l Diadorim  | 

Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP

CEP: 04018-010 - e-mail: revistacmc@espm.br