Som de cabra macho: sonoridade, nordestinidade e masculinidades no forró

Felipe Trotta

Resumo


Neste artigo serão discutidas as complexidades da construção da identidade nordestina articulada a partir de determinadas sonoridades assumidas coletivamente como “características”. Parte-se da ideia de que a noção de nordestinidade está estreitamente relacionada com a ideia de masculinidade. O tipo nordestino, cabra macho e sertanejo forte, é descrito em sons, imagens e narrativas que estabelecem um modelo de masculinidade efetivo, compartilhado em canções e timbres. Como um gênero musical estreitamente identificado com o Nordeste, o forró negocia em seu repertório modos de pensar e acionar essa masculinidade nordestina, ligada às ideias de força e virilidade. Suas sonoridades instrumentais mais características – a sanfona e, atualmente, o naipe de metais – acionam tais modelos e, deste modo, processam e atualizam tanto o pertencimento regional quanto certos modelos de masculinidade.

Palavras-chave


Música popular; Identidade regional; Masculinidade; Sanfona; Naipe de metais

Texto completo:

PORT PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18568/cmc.v9i26.349

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Comunicação Mídia e Consumo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Diretórios e Indexadores: SCOPUS lREVCOM l UNIVERCIENCIA l Sumários.org l LIVRE l Latindex l EBSCO l CENGAGE Learning l DOAJ l IBICT/SEER l Portal de Periódicos da CAPES l Diadorim  |  

Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP

CEP: 04018-010 - e-mail: revistacmc@espm.br