CULTURA POP e PERFORMANCE: JOGOS IDENTITÁRIOS NOS EVENTOS DE ANIMÊ

Cíntia Sanmartin Fernandes, Paula Travancas

Resumo


A grande popularidade da cultura pop japonesa no Brasil, impulsionada pelo chamado boom dos animês nos anos 1990, levou à criação dos eventos de animê. Essas convenções, inicialmente voltadas para fãs de animações e seriados japoneses, hoje atraem neotribos, ou tribos urbanas, que se fundam no gosto por diversos segmentos da cultura pop mundial. Filiado à sociologia do cotidiano e do imaginário e apoiado em pesquisa de campo de inspiração etnográfica, este artigo parte da compreensão da estética como ética para vislumbrar o elã que permite a comunhão entre neotribos. Para tanto, são analisadas quatro atividades comuns aos eventos e que dependem da participação dos visitantes para ganharem vida: o cosplay, o animekê, os covers de k-pop e os videogames de dança. Tais atividades evidenciam modos de socialidade que produzem sentidos por meio da performance, em suas dimensões de encenação, brincadeira e jogo


Palavras-chave


Eventos de animê; Cultura Pop; Performance

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


AMARAL, R. As Mediações Culturais da Festa. Rev. Mediações. Londrina, v. 3, n. 1, p. 13-22, jan./jun. 1998.

BARRAL, É. Otaku: Os Filhos do Virtual. São Paulo: Ed. SENAC, 2000.

CAMPOS, R. Juventude e visualidade no mundo contemporâneo: uma reflexão em torno da imagem nas culturas juvenis. SOCIOLOGIA, PROBLEMAS E PRÁTICAS. Lisboa, n.º 63 , p. 113-137, 2010

DAWSEY, J. Sismologia da performance: ritual, drama e play na teoria antropológica. Revista de Antropologia, v. 50, nº 2, São Paulo: USP, 2007, p. 527-570.

AUTOR, Co(rpo)municabilidade e sociabilidade : a imagem e a estética como vetores de comunicação-comunhão. In: IV ENECULT - ENCONTRO DE ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES EM CULTURA, 2008, Salvador. Anais eletrônicos. Salvador: UFBa, 2008.

______. Sociabilidade, Comunicação e Política: a Rede MIAC como provocadora de potencialidades estético-comunicativas na cidade de Salvador. Rio de Janeiro: E-papers, 2009.

FOUCAULT, M. O corpo utópico, as heterotopias. São Paulo, N-1 Edições, 2013.

____. Outros espaços. In: Ditos e Escritos. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1984.

GIDDENS, A. Modernidade e Identidade. Rio de Janeiro: Zahar Ed., 2002.

GOFFMAN, E. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes, 1983.

JUNG, S. 2011. K-pop, Indonesian Fandom, and Social Media. In: Race and Ethnicity in Fandom. Transformative Works and Cultures, no. 8., 2011.

KARAM, K; MEDEIROS, M. C. Subcultura, estratégia e produção de gosto: uma análise do k-pop no Brasil. In: COMUNICOM – CONGRESSO INTERNACIONAL DE COMUNICAÇÃO E CONSUMO, 5., 2015.

LOURENÇO, A. L. C. Otakus: Construção e Representação de si entre Aficionados por Cultura Pop Nipônica. 2009. 365 f. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.

MACHADO, C. A. Processos sócio-educativos dos animencontros: a relação de grupos juvenis com elementos da cultura midiática japonesa. Rio de Janeiro, 2009. 192 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2009.

MAFFESOLI, M. Homo Eroticus: comunhões emocionais. Rio de Janeiro: Forense, 2014.

______. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa.. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1987.

MAUSS, M. As técnicas corporais. In: Sociologia e antropologia. São Paulo: Edusp, 1974, v. II., p. 209-234.

NUNES, M. R. F. Cena cosplay: breves narrativas de consumo e memória pelas capitais do Sudeste brasileiro. Cena Cosplay: Comunicação, consumo, memória nas culturas juvenis. Porto Alegre: Sulina, 2015, p. 23-76.

OLIVEIRA, A. C. M. A., AUTOR, C. S., SOUZA, J. S. Corpo, Comunicação e Cidade: a estética como élan comunicacional. In: III COLÓQUIO MULTITEMÁTICO EM COMUNICAÇÃO – MULTICOM, 2008, Natal. Anais eletrônicos Natal: Intercom. Mesa temática.

OLIVEIRA, C. Rio Anime Club Maio, 2016. Disponível em: . Acesso em: 30 jan. 2017.

SASAKI, E. Qual a relação entre a imigração e a cultura pop japonesa no Brasil? In: XIV CONGRESSO INTERNACIONAL “ASIA Y AFRICA. CONEXIONES, INTERCAMBIO Y NUEVOS ABORDAJES ACADÊMICOS DESDE AMERICA LATINA”, 2013, La Plata. Anais... ALADAA: La Plata, 2013.

SATO, C. Japop: o poder da cultura pop japonesa. São Paulo: NSP Hakkosha, 2007.

SCHECHNER, R. Pontos de Contato entre o Pensamento Antropológico e o Teatral. In: Cadernos de Campo, n. 20, 2011, p. 213-236.

SILVA, C. G. Cultura juvenil em dance games como forma de lazer em espaços públicos de Brasília. 2013. 67 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Faculdade de Educação Física, Universidade Federal de Goiás, Formosa, 2013.

SOARES, G. T. Cosplay: imagem, corpo, jogo. São Paulo, 2013. 86 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Semiótica) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2013.

SOARES, T. Percursos para estudos sobre música pop. In: FERRAZ, Rogerio; CARREIRO, Rodrigo; SÁ; Simone Pereira de; (Org.). Cultura Pop. Salvador: EDUFBA. Brasilia: Compós, 2015.

ZUMTHOR, P. Performance, recepção, leitura. São Paulo, Cosac Naify, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.18568/cmc.v15i42.1560

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Comunicação Mídia e Consumo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Diretórios e Indexadores: SCOPUS lREVCOM l UNIVERCIENCIA l Sumários.org l LIVRE l Latindex l EBSCO l CENGAGE Learning l DOAJ l IBICT/SEER l Portal de Periódicos da CAPES l Diadorim  |  

Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP

CEP: 04018-010 - e-mail: revistacmc@espm.br