Da violência simbólica nas relações sociais sobre a imagem do corpo

Eder José dos Santos, Gustavo Alves Biasoli, Roselene de Fátima Coito

Resumo


Este trabalho se vale das propostas de Bourdieu (2001), para quem o simbólico é condicionado por formas de poder cuja função política atua instrumentalmente na imposição ou na legitimação da dominação entre distintas classes (violência simbólica). A respeito da compreensão de funcionamento social, parte das propostas da sociologia compreensiva desenvolvida por Max Weber (1991). O objetivo é demonstrar como as imagens aqui analisadas podem ser relacionadas, enquanto elementos fragmentados de uma realidade empírica, a um “tipo ideal” em torno de uma estética do corpo humano que uma esfera de poder, por meio do simbólico “(...) enquanto instrumento por excelência da integração social” (BOURDIEU, 2001, p. 10), tenciona legitimar.

Palavras-chave


Sociologia compreensiva. Poder simbólico. Imagem do corpo

Texto completo:

PORT PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18568/cmc.v9i25.314

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Comunicação Mídia e Consumo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Diretórios e Indexadores: REVCOM l UNIVERCIENCIA l Sumários.org l LIVRE l Latindex l EBSCO l CENGAGE Learning l DOAJ l IBICT/SEER l Portal de Periódicos da CAPES l Diadorim  | 

Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP

CEP: 04018-010 - e-mail: revistacmc@espm.br