Saias, selins e sensibilidades: movimentos feministas e bens de consumo

Everardo Rocha, Beatriz Beraldo

Resumo


Esse artigo tem como objetivo apresentar, em perspectiva histórica, momentos de estreita vinculação entre a atuação política do feminismo e as práticas de consumo modernas. O enfoque central será a análise do surgimento da bicicleta como bem de consumo. Ainda que pensado para homens, foi – nos Estados Unidos e em vários países europeus – apropriado pelas mulheres, que rapidamente transformaram-se nas suas principais consumidoras. A chegada desse bem de consumo foi relacionada às lutas feministas por emancipação, provocando uma uma onda de transformações sociais.

Palavras-chave


Consumo; Comunicação; Feminismo; Bicicleta

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


ADORNO, T.; HORKHEIMER, M. Dialética do Esclarecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1997 [1947].

ADORNO, T. A Indústria Cultural. In: COHN, Gabriel. Comunicação e Indústria Cultural. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1971 [1968].

ADORNO, T. Résumé über Kulturindustrie. In: ADORNO, T. Ohne Leitbild – Parva Aesthetica. Frankfurt am Main, Suhrkamp Verlag, 1968, p. 60-70.

ANTHONY, S. B. Champion of Her Sex. New York Sunday World, Nova Iorque, p. 10, 2 fev. 1986.

AMOS, A.; HAGLUND, M. From social taboo to “torch of freedom”: the marketing of cigarettes to women. Tobacco Control. BMJ Publishing Group, 2000; p. 3–8.

AUTOR, 1985.

AUTOR, 1995.

AUTOR, 2005.

AUTOR, 2015.

AUTOR, 2016.

BAUDRILLARD, J. Le système des objets. Paris: Gallimard, 1968.

______________. A sociedade de consumo. Lisboa: Edições 70, 1991 [1970].

BARTHES, R. Mitologias. São Paulo: Difel, 2003 [1957].

BROWN, S. The laugh of the marketing Medusa: men are from Marx, women are from Veblen. In: CATTERALL, Miriam; MACLARAN, Pauline; STEVENS, Lorna. Marketing and Feminism: current issues and research. London and New York: Routledge, 2000.

BUENO, M. L. Apresentação: Cultura e Estilos de Vida. In: BUENO, L. e CAMARGO, L. O. (orgs.). Cultura e consumo: estilos de vida na contemporaneidade. São Paulo: Senac, 2008.

BURKE, P. Modernidade, cultura e estilos de vida. In: BUENO, L. e CAMARGO, L; O. (orgs.). Cultura e consumo: estilos de vida na contemporaneidade. São Paulo: Senac, 2008.

CESCA, C. G. G. Relações Públicas para iniciantes. São Paulo: Summus, 2012.

COX, P. Shop Girls, Social History and Social Theory. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 37, nº 75, 2017. p. 243-271.

DEMPSEY, P. The Bicycler’s Bible. New York: Tab Books. 1977.

ECO, U. Apocalípticos e integrados. São Paulo: Perspectiva, 1979 [1964].

FLEMING, J. E. The Bicycle Boom and Women's Rights. The Gettysburg Historical Journal. Gettysburg College: Vol. 14, Article 3, p. 13-26. Gettysburg, 2015.

HARPER, I. H. Susan B. Anthony: The Woman and Her Work. The North American Review (NAR). Vol. 182. Nº 593. p. 604-616. Boston, 1906.

MACY, S. Wheels of Change: How women rode the bicycle to freedom (with a few flat tires along the way). Washington: National Geographic, 2011.

MARTINO, L. M. S.. Teoria da Comunicação: ideias, conceitos e métodos. 2a ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

MCCRACKEN, G. Cultura e Consumo: novas abordagens ao caráter simbólico dos bens e das atividades de consumo. Rio de Janeiro: Mauad, 2003.

NAVA, M. Visceral Cosmopolitanism: Gender, culture and the normalization of Difference. New York: Berg, 2007.

PONTES, V. S.; PEREIRA, E. G. B. Sob rédeas curtas, de cabelos longos: reflexões sobre mulheres no hipismo. Movimento. Porto Alegre: UFRGS, v. 20, n. 3, jul./set. de 2014. p. 1197-1222.

RAPPAPORT, E. Uma nova era de compras: a promoção do prazer feminino no West End Londrino 1909-1914. In: CHARNEY, L. &

SCHARTZ, V. R. (orgs.). O cinema e a invenção da vida moderna. São Paulo: Cosac Naify, 2004. p. 157-184.

REIMER, A. F. W. Object To Women Bicyclists; College Point School Trustees say they must not ride to and from their duties. New York Times, Nova Iorque, p.1. 15 jun. 1895.

SCHETINO, A. M. Ciclismo e Modernidade: apontamentos sobre a invenção da bicicleta e os primórdios do ciclismo no Rio de Janeiro. In: XXIV SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA – HISTÓRIA E MULTIDISCIPLINARIDADE: TERRITÓRIOS E DESLOCAMENTOS. Anais ...São Leopoldo: Unisinos, 2007.

SMITH, C. Is Bicycling Immoral? Woman’s Rescue League says it is. Brooklyn Eagle, Nova Iorque, p.1, 19 ago. 1896.

STRANGE, L. S; BROWN, R. S. “The Bicycle, Women's Rights, and Elizabeth Cady Stanton”. In: Women’s Studies. Ed. 31. p. 609-626. UK: Taylor & Francis, 2002.

VERDÚ, R. C. La emancipación femenina decimonónica a través del denuedo velocipédico. Femeris: Revista Multidisciplinar de Estudios de Género, Vol. 2, No. 2, p. 119-136, 2017.

ZOLA, É. O paraíso das damas. São Paulo: Estação Liberdade, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.18568/cmc.v15i44.1735

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Comunicação Mídia e Consumo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Diretórios e Indexadores: SCOPUS lREVCOM l UNIVERCIENCIA l Sumários.org l LIVRE l Latindex l EBSCO l CENGAGE Learning l DOAJ l IBICT/SEER l Portal de Periódicos da CAPES l Diadorim  |  

Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP

CEP: 04018-010 - e-mail: revistacmc@espm.br